terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Durante as festas de final de ano fique de olho no seu pet

O final do ano está aí e essa é uma época que se deve ficar de olho no seu pet. Brinquedos, petiscos e enfeites de Natal, como as bolas coloridas e piscas-piscas, podem ser um perigo para o seu animalzinho. Para aproveitar as festas com muitas risadas, é preciso tomar alguns cuidados especiais em casa.


Donos de animais de estimação devem estar cientes de que, ocasionalmente, petiscos e brinquedos podem causar asfixia ou obstrução em seus pets. Petiscos que são feitos de couro cru, palitinhos e ossinhos, por exemplo, podem se tornar muito escorregadios quando em pedaços úmidos e maiores. “Eles podem alojar-se na parte de trás da boca do animal ou da garganta, provocando engasgos, asfixia, e até a morte. Ao morder alguns brinquedos, os pedaços quebrados também podem ficar alojados nas vias aéreas de seu animal de estimação ou do trato gastrointestinal”, alerta a Dra. Melissa Dias, veterinária que cuida dos animais do nosso Abrigo Bom pra Cachorro.

Um outro perigo a ser considerado é o pisca-pisca. Os cães tendem a roer tudo que encontram pela frente e esse tipo de adorno pode eletrocutar. “Já vi casos de pets eletrocutados e também casos em que comeram enfeites da árvore de Natal“, comenta a veterinária. É de suma importância deixar a árvore de Natal em um lugar que o bichinho não alcance de jeito nenhum.

Outro cuidado importante é em relação à ceia. No período de festas de final de ano aumenta a quantidade de animais intoxicados por comerem algo que não estão acostumados. “A dica é evitar oferecer restos de comidas natalinas aos pets. Todo ano temos casos de cães intoxicados apresentando vômitos e diarreia”, conta Melissa.

Quanto à noite de réveillon, a dica é estar perto do seu cãozinho. Eles ficam assustados com o barulho dos fogos de artifício e chegam a tremer muito de medo. “Uma opção é colocar algodão no ouvido do pet para abafar o barulho, além de dar muito carinho a ele para que possa se acalmar aos poucos”, indica a veterinária.



No momento dos fogos, os animais devem ficar dentro de casa, para não se sentirem ameaçados. “É importante destacar que animais portadores de doenças crônicas, como insuficiência cardíaca e epilepsia, necessitam de mais atenção, pois o estresse pode desencadear crises”, explica Melissa. Não podemos esquecer os riscos de acidentes por tentativa de pular muro, que podem resultar em feridas traumáticas por ficarem presos às grades ou até mesmo atropelamentos. 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Cuide das patinhas do seu cãopanheiro


Você já andou descalço no asfalto quente em dias de verão?  Percebeu o que acontece?  O cão é extremamente solícito e fiel, se convidá-lo para um passeio, mesmo nos horários mais quentes do dia, ele irá. Os efeitos da solidariedade canina serão notados no dia seguinte.

O clima quente representa muitos perigos aos cães. A maioria dos proprietários sabe que eles podem sofrer insolação, ter hipertermia e queimaduras solares, mas muitos ignoram as queimaduras nas “almofadinhas” das patas. Um simples passeio pode causar sérios ferimentos e queimaduras nas almofadas das patas (coxins).

É muito importante ressaltar que estes tipos de ferimentos são difíceis de tratar. “Cortes, queimaduras, bolhas, feridas e descolamento da pele dos coxins são predispostos a infecções. Outro fator preocupante é a lenta cicatrização, devido à constante pressão colocada na pata quando o cão anda ou simplesmente fica em pé”, alerta Melissa Dias, veterinária do Abrigo Bom pra Cachorro.

SINTOMAS DE LESÕES NOS COXINS (ALMOFADINHAS):
·         Dor local, levando o cão a mancar, principalmente em passeios e pisos mais ásperos;
·         Evitar de colocar as patas no chão;
·         Lamber constantemente as patas;
·         Evitar o toque nas patinhas;
·         Sangramento local;
·         Presença de bolhas, descolamento da pele dos coxins e muita dor local.

Ao notar algum desses sintomas leve seu cão ao veterinário de sua confiança. Cuide do seu melhor amigo.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Dia Nacional de Adoção Animal


 
Bom Pra Cachorro investe em reforma de abrigo e orienta quem pretende adotar um animal de estimação

 
4 de outubro é dia de São Francisco de Assis, protetor dos animais e patrono da ecologia. Por isso, a data virou referência na adoção animal em todo o país. Para celebrar a data, a veterinária Melissa Dias, responsável pelo abrigo Bom Pra Cachorro, orienta sobre adoção e posse responsável.

“Eu recomendo a adoção de cães, especialmente porque eles são mais amorosos com os donos, pois têm consciência do bem que estão recebendo. No entanto, antes de adotar um bichinho, é necessário saber das responsabilidades que deverá ter”, alerta. A profissional explica que, depois que a família decide pela adoção, ela deve ficar atenta aos cuidados básicos, que vão muito além de alimentação. “A vacinação anual, a castração, os cuidados com a saúde de forma geral, o carinho e a atenção são indispensáveis”.

O cão é mais um membro da família e necessita de cuidados. “Ele é um animal dependente. As pessoas precisam entender que, ao optar por adotar um cachorro, a responsabilidade é para sempre. Nenhum animal de estimação pode ser descartado”.

Para atender melhor aos 50 cães do abrigo Bom Pra Cachorro, o espaço passou por mudanças significativas neste ano. “Fomos para uma sede própria, onde podemos atender melhor os animais, com novos canis de alvenaria, camas, solário, entre outras novidades. Priorizamos mais conforto aos cães que estão sob nossa responsabilidade”.

O Bom pra Cachorro é um projeto do Instituto Corpore e oferece aos animais melhores condições de vida, por meio de alimentação adequada, banhos e consultas ao veterinário quando necessário.

Quem tiver interesse em adotar um cão do Bom Pra Cachorro, pode entrar em contato com a veterinária Melissa Dias pelo email melvetdias@hotmail.com ou pelo telefone (44) 3017-1239.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Acerte na escolha do médico-veterinário


Um bom profissional promove saúde e bem-estar de toda a família, pois todos que convivem com o animalzinho são influenciados pelo seu estado



Corridas, brincadeiras, saúde plena e vida longa é o que todo mundo deseja para seu pet. Mas por trás de um animal saudável e bem cuidado sempre existe um (a) grande doutor (a).
É muito bom poder contar sempre com um profissional que garanta a felicidade do nosso pet.
Aproveitando o Dia do Médico-Veterinário, celebrado neste domingo (9), vamos apontar critérios para a escolha deste profissional.

Escolher bons profissionais de saúde animal é tarefa muito séria e complexa. O principal aspecto a ser observado é sua formação. Hoje em dia já há especialização para todas as espécies de animais e problemas. Esse tipo de formação implica em uma maior qualificação dos profissionais.

Um bom veterinário poupa sofrimento e dinheiro, pois ele diagnostica melhor, evitando tratamentos desnecessários.

Confira algumas dicas importantes antes de escolher um veterinário:

• Verificar a disponibilidade em casos de emergência. Mesmo que o consultório não atenda 24 horas, vale uma indicação de um bom hospital veterinário;
• Prestar atenção à regularização do consultório. A clínica veterinária deve ser registrada no CRMV (Conselho Regional de Medicina) e na Anvisa, além de possuir um responsável técnico;
• Procurar uma clínica veterinária perto do local onde mora. Trânsito, calor e agitação podem piorar o estado físico e também psicológico do animal;
• Observar as condições de higiene do local;
• Na explicação do profissional, atentar quanto aos conhecimentos e se consegue definir claramente o que está acontecendo com o pet.

Não podemos deixar de parabenizar a Dra. Melissa Dias, que cuida dos cães do Abrigo Bom pra Cachorro com muito amor e dedicação.  “Trabalhar com cães e gatos é muito gratificante, atendo eles como membros da família. Para mim, ser veterinário não é só cuidar de animais é, sobretudo, amá-los”, conta Dra. Melissa, que é médica-veterinária de pequenos animais há 10 anos.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Agosto, mês do cachorro louco




Expressão ficou conhecida por surtos de raiva em animais neste período, mas hoje em dia a doença é considerada controlada


No passado, convencionou-se chamar agosto como "o mês do cachorro louco", porque nessa época ocorriam os cios das cadelas, havendo maior aglomeração dos animais para o acasalamento, e consequentes agressões entre os cães e transmissão da raiva.

Hoje em dia a raiva é considerada uma doença controlada, mas o mês ficou registrado como período para vacinação dos animais. O animal dever ser vacinado anualmente, de acordo com o calendário de vacinas. Quem ainda não vacinou neste ano, vale aproveitar essa época para deixar seu cão vacinado.

A forma mais comum de transmissão da raiva é contato com saliva de animais doentes, através de mordeduras, arranhões ou lambeduras em pele lesada ou mucosa. “A fonte de infecção é o animal infectado pelo vírus da raiva. Em espaços urbanos, o principal transmissor é o cão, seguido do gato. Em espaços rurais é o morcego”, explica a médica veterinária Wanessa Maia.

Independentemente do diagnóstico, a doença é de difícil tratamento pela dificuldade de intervenção médica rápida e a morte é inevitável. “A dica é sempre prevenir para mantermos esse estado de controle, pois a qualquer momento isso pode ser alterado e passamos para uma situação epidêmica desfavorável”, recomenda Wanessa.

Além disso, outro agravante é que a raiva é uma doença que pode ser transmitida ao homem. “Essa é uma questão muito séria, pois a raiva também progride rapidamente no organismo humano e a chance de cura é mínima”, alerta a veterinária.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Dicas para acertar na escolha do melhor local para deixar seu pet nas férias


Quem tem um bichinho de estimação sabe que não é em toda viagem que ele pode ir junto



Férias marcadas, viagem planejada, família toda empolgada. O que fazer com o pet quando não dá para levar no passeio? Deixar em casa sozinho, com algum conhecido ou optar por um hotel para animais?
Confira vantagens de cada uma das opções e o que levar em conta na hora de escolher o destino do seu animalzinho durante as suas férias.

Deixar o pet em casa
Essa opção só é válida para passeios extremamente curtos, ou o animal poderá sentir demais a falta do dono, podendo inclusive adoecer. Se esta for a alternativa, o proprietário deve se certificar de que há ração e água suficiente para a nutrição do pet durante o tempo que estiver fora. É possível também pedir para algum amigo passar diariamente na casa para alimentar, cuidar da higiene do animal e verificar se está tudo bem com ele.
A vantagem de o bichinho ficar em casa é que não haverá problema relacionado ao estranhamento do local; a desvantagem, por outro lado, é que o pet pode sentir ainda mais a falta do dono.

Deixar na casa de um amigo
O animal pode estranhar o local diferente. Uma boa forma para contornar o problema é levar alguns pertences do pet para esse abrigo temporário.
O proprietário deve informar ao cuidador do animal sobre as rotinas dele. Quantidade de ração consumida diariamente, hábitos de higiene e o contato do veterinário são alguns tópicos que devem ser informados.
Caso haja mais animais na casa, avaliar se o seu pet poderá ter algum problema de convívio com os outros bichos. Uma opção é levar o bichinho uns dias antes para ir acostumando os animais uns com os outros.

Hospedar em um hotel para animais
Esta pode ser uma boa opção, mas requer cuidados especiais na hora de escolher o estabelecimento em que o animal de estimação vai ficar hospedado. É imprescindível uma visita presencial para conhecer o hotel para se certificar das condições do local, conhecer o ambiente em que o pet irá ficar, qual ração que é fornecida, as atividades praticadas, a segurança do hotel, e se existe um veterinário responsável ou uma clínica que possa prestar algum tipo de suporte, caso necessário.

O reencontro é um momento de alegria e de atenção
Na hora de buscar o pet, além de matar a saudade, é preciso verificar se ele se encontra nas mesmas condições em que foi deixado no estabelecimento.
E depois de escolhido o local em que o pet ficará, é só preparar as malas e boas férias!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Oi! Eu sou o Medroso!




Me deram esse nome porque eu vivi muito tempo na rua. E viver sozinho e abandonado é bem difícil.

Passei por momentos bem tristes e por muitos maus tratos. 

Mas o Abrigo Bom para Cachorro me encontrou! E agora eles cuidam de mim, me dão tudo o que eu preciso e estão me ajudando a encontrar um lar!

Imagina que delícia! Morar numa casa de verdade, com um dono bem especial, que cuide de mim e me ame de volta! Estou esperando esse momento ansioso! 

Tenho muito amor e carinho pra dividir e sei que posso ser um ótimo cãopanheiro! Sei que logo vou encontrar esse alguém que precisa de mim tanto quanto eu preciso dele!

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Tapete ecológico auxilia o adestramento de cães


O produto não agride o meio ambiente e possui tecnologias que facilitam a vida dos proprietários



Quem está adestrando o seu cão agora com conta com uma solução eficiente e que preserva o meio ambiente.  A novidade é um tapete, que atrai os pets para que façam suas necessidades sempre no mesmo local. Ele absorve o xixi, elimina odores, não contamina a casa e ainda otimiza o tempo de limpeza.

O Ecopads, produto com foco totalmente ecológico, possui embalagem reutilizável, diminuindo a emissão de resíduos no meio ambiente, utiliza celulose não branqueada, que não agride o meio ambiente, possui filme oxibiodegradável, que diminui o tempo de permanência no meio ambiente quando descartado, e alcança a marca de 10.000 árvores poupadas a cada ano, chega ao mercado com uma nova versão, uma embalagem de 30 unidades.

Os tapetes ainda contam com as mais modernas tecnologias e facilidades para a utilização como: losangos, que favorecem a absorção da urina; abas plásticas autocolantes, que fixam os tapetes; atração que faz com que o cão faça suas necessidades no tapete e barreiras laterais, que evitam vazamentos caso o cão faça suas necessidades muito próximas a borda do tapete.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Oi gente! Eu sou a Lobinha!




Hoje eu tenho esse sorrisão sapeca, porque o Abrigo Bom para Cachorro cuidou de mim! Me tiraram da rua, me deram um banho, comida, as vacinas que eu precisava e muita atenção, afeto e carinho.

Mas eu queria mesmo era ser adotada por alguém bem especial! Alguém que me dê um lar e que vou amar muito e fazer o possível para que essa pessoa seja feliz, todos os dias.

Prometo ser bem boazinha, me comportar e brincar bastante!

Me adota?

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Pets necessitam de mais cuidados em dias frios


Cães, assim como humanos são propensos a doenças respiratórias nos meses mais frios



Com a chegada do inverno, os animais de estimação precisam de alguns cuidados especiais. Eles possuem pelos, mas sentem frio e não estão imunes a doenças.

Em dias e noites com baixas temperaturas é preciso abrigar os animais do vento, chuva e frio. É importante que as casinhas e canis estejam longe de correntes vento. “Alguns animais gostam de cobertores, mas outros os destroem. Para mantê-los aquecidos, uma dica é colocar madeira ou plástico cerca de 5 cm do chão, além de tapetes de borracha que podem ser fixados diretamente na madeira”, explica Giselle Bittencourt Delmond, médica veterinária.

Outra opção adotada por muitos proprietários é vestir seus pets, mas é necessário verificar se o cão não irá rasgar a roupa ou ainda se não possuem alergia.

Assim como os humanos, os animais também são propensos às doenças respiratórias no inverno. A principal delas é a traqueobronquite infecciosa canina (conhecida popularmente como tosse dos canis), doença que causa tosse seca como se o animal estivesse engasgado e está associada a infecções virais e bacterianas. "A traqueobronquite infecciosa, é como a gripe humana, transmitida através do contato direto com indivíduos infectados e principalmente em ambientes fechados”, exemplifica a veterinária. Animais que frequentam hotéis e banhos e tosa são mais suscetíveis, por estarem em ambientes fechados com outros animais.

A qualquer sinal de problema, Giselle recomenda que o cão seja levado imediatamente ao veterinário. Os sinais mais comuns são tosse seca e repetida, que em cães parece um engasgo, coriza ou secreção nasal, além da diminuição de apetite. “A prevenção é feita por meio de vacinas intranasais e injetáveis, sendo que as intranasais apresentam proteção muito mais consistente, protegendo contra a infecção e contra a doença clínica”,completa.

No inverno a água do banho deve ser morna e as orelhas devem ser protegidas com algodão e o animal não deve ficar molhado. “Cuidados com a temperatura do secador devem ser observados, ela não deve ser muito quente a ponto de causar um choque térmico quando o animal sair à rua”, ressalta a veterinária.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mãe de cachorro também é mãe!



Desejamos um Dia das mães repleto de amor na cãopanhia de seus filhotes, seja você mamãe de humano ou de cachorro.


Todas as mulheres que se dedicam a amar um ser vivo merecem nossa admiração.

Feliz Dia das Mães!

Palestra “Aprenda a falar cachorrês”


11 de maio às 19hrs

De 07 a 12 de maio Curitiba recebeu a 2ª Segunda Semana de Guarda Responsável, evento que é parte do Programa Max Identidade (www.maxidentidade.com.br), idealizado pela fabricante de pet food Total Alimentos (www.totalalimentos.com.br).

O mascote do programa, o golden retriever Max, visitou nove escolas da cidade, levando os conceitos sobre a guarda responsável de animais para alunos de 7 a 10 anos, fase importantíssima para o aprendizado desse tema tão importante.



Na sexta-feira dia 11, haverá uma palestra de encerramento da semana com o cinófilo e especialista em comportamento animal, Jorge Pereira, adestrador do Max. “Aprenda a falar cachorrês” vai ensinar como comunicar-se melhor com seu cão – “para o cão, a família é uma matilha e, para a relação funcionar, é necessário entender o que ele está dizendo”, explica Jorge. Os ingressos antecipados custam R$ 10,00 e podem ser adquiridos em cinco pet shops da cidade – confira os endereços, horário e local da palestra abaixo.

Toda a renda arrecadada será revertida para Associação Vida Animal (AVAN), Associação Amigo Animal e Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba (SPAC). Uma tonelada de alimentos para cães será doada e compartilhada entre as ONGs.

Palestra “Aprenda a falar cachorrês”
Dia: 11/05/2012
Horário: 19hs
Local: PUCPR (PUC Paraná) – Auditório Tristão de Ataíde – térreo, bloco1. Rua Imaculada Conceição, nº 1155 – Prado Velho, Curitiba.

Os ingressos estão à venda nos seguintes locais:
KOALA PET SHOP – Av. Vereador Toaldo Túlio, 2984 – Santa Felicidade – Curitiba/Fone – 3272-2544
CASA DO PRODUTOR – Rua Engenheiros Rebouças, 1814 – Rebouças – Curitiba/Fone – 3333-7226
AGRIAVICOLA UBERABA – Av. Sen. Salgado Filho, 3703 – Uberaba – Curitiba/Fone – 3276-7034
PETPHARMA PET SHOP – Prof. João Soares Barcelos, 2230 – loja 4 e 5 – Hauer – Curitiba/Fone – 3286-8196
VIP VET – Rua Ten. Djalma Dutra, 3385 – Centro – São José dos Pinhais/Fone – 3283-1548

Vamos prestigiar a iniciativa da Total Alimentos em ajudar os animais através de doações e ações educativas tão importantes para prevenir que muitos animais venham a sofrer pelo abandono. Esta empresa está de parabéns!

www.spacuritiba.org.br

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Cães e gatos também doam sangue

Doando sangue o pet salva vidas de outros animais e passa por um check-up completo.



Assim como os humanos, cães e gatos podem precisar de transfusões de sangue. Antigamente, quando um cão precisava de uma transfusão, o proprietário levava outro cachorro de porte grande para a doação. Hoje em dia o processo é semelhante a um banco de sangue humano. Devido aos avanços da medicina veterinária, atualmente o sangue pode ser armazenado por até 40 dias.

Além disso, é possível transformar uma bolsa de sangue doado em três: uma de plaquetas, uma de hemácias e uma de plasma. Enquanto o plasma pode ter validade de um ano, se congelado a -20 °C, as plaquetas são usadas apenas nos cinco dias que seguem a sua coleta.

O procedimento para doar é simples: o animal é levado ao hospital e coleta uma pequena amostra de sangue, que passará por 15 exames laboratoriais. Constatada a saúde do peludo, o pet é cadastrado como doador, e pode realizar esse ato nobre a cada 40 dias.

Existem muitas vantagens em tornar o seu pet um doador. Pra começar, ele salvará vidas de outros animais com doenças infecciosas, inflamatórias, que passam por tratamento oncológico ou sofreram acidentes.

E o melhor: é muito difícil um animal passar mal, porque diferente de nós, eles não têm o medo psicológico da agulha. Eles também recebem carinho durante o procedimento e petiscos de recompensa.

Para doar sangue, o animal precisa:
- Ter entre 1 e 8 anos de idade;
- Pesar mais de 25 quilos (no caso dos cães) ou mais de 4 quilos (para os gatos);
- Estar com as vacinas e vermifugação em dia, assim como o controle de pulgas e carrapatos;
- Ser dócil;
- Não estar prenhe;
- Não apresentar problemas de saúde.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Meu nome é Chiquinha, muito prazer!



Eu queria tanto conhecer você! É que eu nunca tive um melhor amigo, sabe? Já tive vários amigos, quando morei na rua, mas foi uma fase muito difícil e quando cada um depende de si mesmo para viver, ninguém é realmente amigo de ninguém. E a vida é muito complicada e triste.

Agora moro no Abrigo Bom para Cachorro. Eles são meus amigos, cuidaram de mim quando eu estava mal, além de me deixarem limpinha e saudável. Mas não é esse tipo de amizade que eu sempre sonhei.

Eu queria mesmo era um SUPER AMIGO ESPECIAL, com quem eu pudesse brincar, passear, pular e correr todos os dias! Sabe aquela amizade verdadeira, cheia de amor e cumplicidade?

Vou ser leal e companheira e vou fazer de tudo para que esse amigo esteja sempre tão feliz quanto eu!

Você quer ser este meu amigo?

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Ingestão de chocolate pode levar cães a óbito

Já existem produtos específicos para os cães como Ovo de Páscoa e Colomba Pascal



Todo cachorro adora guloseimas e na Páscoa várias pessoas acabam dando pedaços de ovos de Páscoa aos cachorros. Mas poucos donos sabem que o chocolate causa intoxicação alimentar, diarreia, vômito, hemorragia intestinal, problemas neurológicos e em casos mais graves, até a morte dos pets.

Com a chegada da Páscoa, os hospitais veterinários lotam e a causa é sempre a mesma: intoxicação por chocolate. O chocolate é constituído por carboidratos, lipídios, aminas biogênicas, neuropeptídeos e metilxantinas (teobromina e cafeína). A teobromina é o maior causador de intoxicação em cães.

Até os chocolates amargo e meio amargo contém essa substância, mesmo que em menor concentração. É por isso que algumas empresas se especializaram em chocolates para pets que não contém teobromina e açúcar. Entretanto, com tanta oferta de chocolate pela casa nesta Páscoa, acidentes podem acontecer e seu cachorro pode roubar aquele ovo que você ganhou de presente. Neste caso, como reagir?

Principais sintomas da intoxicação
Reações alérgicas como diarréias, vômitos e hiperatividade são comuns em cães que consumiram chocolate. Eles podem apresentar, dependendo da concentração da teobromina presente no chocolate e do volume ingerido, reações neurológicas sérias, como convulsões, ataxias, incoordenação, nistagmo (alteração do movimento dos olhos) e até coma.

Como reagir
Ao perceber qualquer mudança no comportamento do animalzinho que consumiu chocolate é necessário levá-lo imediatamente ao veterinário mais próximo. O médico irá conduzir o atendimento de acordo com os sintomas.

Dica: Vale lembrar que embora não tenha teobromina em sua composição, o chocolate branco possui alta concentração de gordura que faz muito mal a médio e longo prazo para os animais. A ingestão do chocolate branco também pode levar a uma gastroenterite aguda.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Passear com o cão: Como quebrar a rotina e enfrentar o mau tempo



Todos os donos já desejaram que o cão fosse capaz de passear sozinho, porque o tempo está fechado, ou porque queriam dedicar esse tempo a outras atividades ou porque caíram numa rotina.

São, sobretudo, os passeios com mau tempo que mais desanimam os donos, mas é praticamente impossível conseguir evitar a chuva, o vento ou frio quando os passeios são diários.

Sem alternativa, os donos têm que mentalizar de que não há forma de evitar o passeio do cão quando o tempo está fechado. Assim, vale encarar os passeios como algo de positivo. A chuva, o vento e o frio não quebram ossos: equipe-se a rigor com calçado confortável e roupa quente e impermeável. Se proteger devidamente, quando chegar em casa, basta trocar de roupa e estará quente e seco e não será por causa dos passeios que ficará doente.

Para passear o cão tem de abdicar de algum tempo que podia ser utilizado em outras tarefas. De manhã é importante levar o cão à rua, mas opte por guardar o passeio mais longo para o fim do dia, seja quando chegar em casa do trabalho ou após o jantar. Depois de um dia de trabalho, e levando em conta que os empregos convencionais são realizados em escritórios e em frente ao computador, o passeio do cão é uma oportunidade de se exercitar e de se libertar dos problemas da jornada de trabalho. Passe a encarar o passeio não como o exercício do cão, mas sim como o exercício seu. Quanto ao tempo para as outras tarefas, tente organizar o dia de forma mais eficiente, há sempre forma de ganhar minutos aproveitando tempos ociosos ou combinando tarefas.

Se a rotina de passear o cão te faz sentir preso, existem outros exercícios que podem substituir as caminhadas, embora sejam menos praticados. A natação é um dos esportes mais completos tanto para humanos como canídeos e ainda mais benéfico para cães e pessoas com problemas nas articulações ou no coração. Contudo não é tão prático e nem empolgante nos dias de frio. No Verão é o ideal para quebrar a rotina dos passeios.

Como substituto ao passeio há ainda muitos desportos, desde canicross (corrida), bikejoring (bicicleta), agility (cão percorre circuito de obstáculos), entre outros. Todos estes desportos exigem treino, o que melhora a comunicação entre o dono e o cão.

Todos os cães, incluindo os de raça pequena, devem passear, independentemente de terem acesso ao jardim. Caminhar faz parte da natureza destes animais e contribui para um corpo saudável e uma mente equilibrada.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Oi! Eu sou a Belezinha!



Eu já morei na rua, passei por muitas dificuldades, mas continuo linda.

Foi o Abrigo Bom para Cachorro que me encontrou e me tirou dessa vida de cão. Me deixaram cheirosa, me vacinaram, mataram minha fome e agora estão fazendo algo ainda mais bacana: estão me ajudando a encontrar um lar!

Eu sei que ninguém vai me resistir! Então estou bem animada!

Eu amo brincar, pular... passear então, é meu hobby!

E além de tudo, eu sou muito carinhosa! Eu já amo meu futuro dono sem ainda nem tê-lo conhecido!

Então, fica a dica! Eu sei que você já está chegando para me adotar e já estou planejando altas aventuras e diversões para gente, ok? Vem logo!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Banho consciente evita desperdício de água

Visando o consumo consciente de água, produto proporciona banho a seco para os pets.



Quando damos banho em cachorros é sempre aquela bagunça. Água pra todo lado, o bichinho que sai correndo, você se molha e no final, todos ficam pingando. E dependendo do tamanho do cachorro, a bagunça é ainda pior.

Ultimamente, a preocupação em economizar água é primordial. A ideia da conscientização está por todo lado e o primeiro passo sempre deve ser dado dentro de casa com a mudança das atitudes diárias.

Existem algumas coisas que não podemos extinguir, mas a economia sempre funciona.

E já que hoje é Dia Mundial da Água, temos uma dica preciosa para economizar o que temos de mais importante no mundo.

Para quem é acostumado a dar banho nos pet’s dentro de casa, a dica é o novo produto da Petminato, que substitui o banho convencional.

O Banho Seco proporciona secagem rápida da pelagem do pet. Além disso, o produto também limpa, amacia e perfuma.

O uso do produto é fácil, bastando aplicar jatos sobre os pelos e escovar até secar.

O jeito mais fácil de manter o seu animal limpo e ajudar o meio ambiente.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Cão treinado carrega oxigênio para menina com doença respiratória

Alida e seu fiel companheiro, Mr Biggs

Uma menina de três anos, que sofre de uma doença respiratória grave, sobrevive graças à ajuda de Mr. Giggs, um cão cruzado de golden retriever com poodle, que transporta a garrafa de oxigénio nas suas costas e acompanha a criança para todo o lado, conta o jornal britânico Daily Mail.

O cão de Alida Knobloch, o fiel Mr. Gibbs, foi especialmente treinado para acompanhar a menina, de três anos de idade. Mr. Gibbs segue a menina de perto até quando ela corre ou anda de bicicleta na propriedade de sua família, um terreno de 40 mil metros quadrados em Louisville, Georgia, Estados Unidos.

Alida, que foi diagnosticada com hiperplasia neuroendócrina infantil quando tinha oito meses de idade, é capaz de respirar sem o tubo, embora com muita dificuldade. Quando ela precisa de oxigênio, Mr Gibbs entra em ação para carregar o pesado equipamento e a acompanhar em suas atividades.

A condição da menina, rara, foi descoberta em 2005. Há apenas 800 casos documentados no mundo. A hiperplasia faz com que partes doentes dos pulmões filtrarem o oxigênio através de camadas adicionais de células, tornando difícil ou quase impossível respirar.

Cão salvador
Para Alida e seus pais, Aaron e Debbie Knobloch, a rotina de uso do tubo seria pesada sem o cão. O casal descobriu em um programa de TV um serviço de cães treinados que ajudavam cegos - e poderiam ser úteis também a Alida. Mas como havia uma longa lista de espera pelos animais, Aaron e Debbie viajaram 2 mil milhas a Utah para buscar o "golden doodle", mistura de golden retriever com poodle, Mr Gibbs.

Com a ajuda de um treinador, o cão se tornou o salvador de Alida: "Ele é o melhor cachorro".

"Estávamos tentando dar alguma autonomia a ela e, quando vimos os cães treinados, pensamos e trazer um animal", disse Aaron à jornais americanos. "Como a doença não se expandiu, à medida que Alida cresce, o pulmão cresce também e torna a respiração mais fácil. Em breve ela não precisará usar o tubo de oxigênio durante o dia", completa Debbie.



A menina chama o balão de oxigênio de "meu O". E, embora pequena para dar comandos ao cachorro, sabe de suas condições especiais, mantém o animal por perto e repete as ordens dadas pelos pais.

"Ele ainda está aprendendo e às vezes age como filhote. Mas quando veste o colete (onde está o balão), ele é só trabalho, até em áreas públicas", disse o pai da menina, sobre Mr Gibbs.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Você estimula seu cão a latir?



Quem menos gosta de latidos geralmente é quem ensina rapidamente o cão a latir por tudo. Isso porque, para fazê-lo parar de latir, lhe dá justamente o que ele quer. Desta forma, o cão compreende que basta latir para que seus donos tirem a bolinha que está embaixo do sofá ou abram a porta. Ou seja, para solucionar um problema imediato, as pessoas acabam treinando o cão a latir cada vez mais, o que acarreta um problema posterior.

A situação costuma piorar quando os cães não são atendidos quando latem, pois começam a latir mais alto e repetidamente. Nesse duelo, vence o mais persistente. E quase sempre é o cão. Quando isso ocorre, ele aprende a não desistir facilmente e que latidos mais altos e intensos produzem resultados ainda melhores.

Para que isso não aconteça, procure seguir as próximas dicas. Lembra-se que cada fracasso seu é um estímulo a mais para o cão latir quando quer algo.

Verificar a causa
Antes de concluir que o motivo para tanto barulho é comportamental, é importante consultar um veterinário, pois o cãozinho pode estar aflito em decorrência de alguma dor ou desconforto. Se descartadas todas as hipóteses de algum mal de saúde, passa-se a análise de alguma causa comportamental.

É indispensável averiguar a procedência do problema para a realização de treinos para controle de latidos em excesso. Isto porque, caso se pretenda simplesmente acabar com os latidos e não com a causa destes, provavelmente haverá transferência do comportamento. Por exemplo, se o cachorro late demais em razão de um alto grau de ansiedade, caso seja condicionado a parar de latir, pode passar a apresentar comportamentos compulsivos, como lamber as patas sem parar.

Ele é recompensado por latir?
Sem querer, é o que muitos acabam fazendo! O cão que percebe que, ao latir, recebe algum tipo de atenção, passará a latir ainda mais quando quiser algo!

Há pessoas que acham engraçado quando o cão se dirige para o armário onde são guardados seus brinquedos e late para pedi-los: o dono vai lá, abre a porta e começa a brincar com o cão! O que ele aprendeu? Que basta latir para conseguir brincar com o dono!

O que fazer?
O segredo é recompensá-los, justamente, quando NÃO latirem! Para cães com acesso a portões com visão para a rua, o ideal seria limitar esse acesso, para que o comportamento passe a não ocorrer mais.

Broncas despersonalizadas também costumam funcionar. Um jatinho de água, de surpresa e sem que o cão perceba de onde veio a bronca, geralmente tem efeito imediato para interromper a “latição”! Importante: cães com ansiedade de separação, que latem quando o dono não está, não devem ser punidos, pois ficarão com medo ainda maior nesta situação e o problema pode piorar muito!

Mas é muito importante que o cão seja recompensado com atenção, petiscos e afagos justamente quando não estiver latindo! Assim, passará a entender que a melhor forma de obter atenção é mantendo o silêncio!

Praticar exercícios físicos com o cão também o ajuda a manter-se ocupado e gastar toda a energia canalizada, que pode acabar sendo liberada com latidos em excesso.

De qualquer forma, para casos extremos, é importante contratar um adestrador especializado em comportamento canino, que auxiliará os donos a lidar com esta situação delicada.

Cão de Raça

quarta-feira, 14 de março de 2012

14 de março é Dia dos Animais!


Sempre ouvimos que “o cão é o melhor amigo do homem”. Hoje é um dia perfeito para nos conscientizarmos que é hora do homem ser o melhor amigo do cão. Não só dele, mas de todos os animais.

O Dia Mundial dos Animais é comemorado em 4 de outubro, nascimento de São Francisco de Assis. Mas aqui no Brasil, o dia 14 de março também é uma data comemorativa, dedicada a todos os bichos que habitam nosso Planeta. Que tal aproveitar o dia para estimular a adoção de animais domésticos abandonados e apoiar organizações que cuidam destes bichinhos?

Vale lembrar que maltratar animais é crime, pela Lei Federal 9605, de 12/2/1998. Agredir, não tratar um animal doente, deixar preso, trabalho forçado, abandono, não fornecer abrigo e alimento. Tudo isso é crime.

Como denunciar maus tratos
Às vezes os maus tratos ocorrem por ignorância e não por maldade. Tente conversar com o agressor ou envie carta anônima. Se não surtir efeito, vá à delegacia relatar o caso, se possível com fotos, filmagens e/ou testemunhas. Não tenha medo de denunciar, pois se houver processo judicial, o mesmo ficará em nome do Estado, que, segundo o Decreto Lei 24645, de 1934, artigo 1º: “Todos os animais do País são de tutela do Estado”.

Normalmente essas leis não são muito usadas nas delegacias, quem o atender poderá desconhecer ou se recusar a fazer Boletim de Ocorrência (BO) ou Termo Circunstanciado. Nesse caso, cite a Lei 9605, artigo 32, sobre maus tratos a animais. Se mesmo assim houver recusa, o atendente estará descumprindo a lei e cometendo crime de negligência e prevaricação previsto no artigo 319 do Código Penal.

Quando você se cala, encoraja o agressor e não tira a vítima do sofrimento.

quinta-feira, 8 de março de 2012

40 CURIOSIDADES SOBRE CÃES (PARTE 2)



01. Os cães têm uma melhor visão na penumbra do que seres humanos devido a uma camada especial de reflexão da luz por trás de suas retinas.

02. O Banseji é uma raça conhecida por ser a única que não late, embora não seja mudo. O Basenji emite sons naturalmente, mas não late.

03. Os cães podem ser treinados para detectar crises epilépticas.

04. O Basset Hound não sabe nadar.

05. A Bíblia menciona cães 14 vezes.

06. Os cães não têm senso de "tempo".

07. Dar chocolates aos cães pode ser fatal para eles. Um ingrediente do chocolate, a teobromina, estimula o sistema nervoso central e o músculo cardíaco. Cerca de 1 kg de chocolate ao leite, ou 146 gramas de chocolate puro podem matar um cão de 22 kg.

08. Dachshunds foram originalmente criados para caçar texugos em tocas.

09. Os cães foram domesticados pela primeira vez pelos homens das cavernas que viveram durante a era do Paleolítico.

10. A média de batimentos cardíacos de um cão saudável é de 120 batimentos cardíacos por minuto.

11. Cães são capazes de sonhar.

12. Quando os cães têm dor de barriga, comem mato para vomitar.


13. Já não existem mais Huskies Siberianos na Sibéria.

14. Os cães têm três pálpebras.

15. No Irã é contra a lei possuir um cão como animal de estimação. No entanto, se um proprietário provar que o cão é um animal de guarda ou de caça, esta restrição não se aplica. Muçulmanos têm restrições sobre cães, talvez devido ao fato de que a raiva sempre foi endêmica no Oriente Médio.

16. A expressão "dia de cão" foi inventada pelos antigos gregos e romanos para descrever os dias mais quentes de verão, que coincidiram com a subida da Estrela do Cão, Sirius.

17. Os cães podem cheirar cerca de mil vezes melhor que os humanos.

18. Cheiros diferentes na urina de um cão podem revelar a outros cães se o cão que está deixando a mensagem é do sexo feminino ou masculino, jovem ou velho, doente ou saudável, se está de bom humor ou não.

19. Os machos elevam ao máximo as pernas para urinar no ponto mais alto de um poste, ou árvore, com a finalidade de deixar uma mensagem de que eles são altos e intimidantes.

20. Os cães são tão inteligentes como uma criança de dois ou três anos. Isso significa que eles podem compreender cerca de 150-200 palavras.

21. 30% de todos os dálmatas são surdos em uma, ou ambas as orelhas.

22. Na China Imperial, os plebeus não podiam criar um pequinês.

23. Assim como bebês humanos, chihuahuas nascem com um ponto macio em seu crânio, que fecha com a idade.

24. Os cães não se tornam fiéis porque você os alimenta, mas por causa da sua companhia.

25. Olhar diretamente nos olhos de um cão estranho pode ser interpretado como um desafio e pode realmente incentivar o cão a lhe morder.

26. Filhotes devem permanecer com sua mãe até pelo menos oito semanas de idade. Durante este tempo, ela vai ensiná-los a não morder e como se dar bem com outros cães.

27. Um cão pode sofrer de uma baixa auto-estima, assim como os humanos. Reforce a auto-estima com carinho, elogios e recompensas.

28. A imagem de salvador de viajantes sustentada pelos cães São Bernardo surgiu na Suíça em meados do século XVIII. Foi em Valais, na Pousada do Grande São Bernardo, que os monges começaram a treinar os cães, inicialmente como auxiliares em trabalhos domésticos. O tempo foi passando e os cães foram também ensinados a guiar os viajantes que passavam pelas redondezas, além de ir buscar vítimas de avalanches que pudessem estar soterradas vivas na fria região da Pousada, o desfiladeiro do Grande São Bernardo. Apesar de serem realmente cães de salvamento, nunca levaram amarrado ao pescoço o barrilzinho com álcool freqüentemente visto em ilustrações e desenhos animados. O mais conhecido desses cães chamava-se Barry, dono da fama de ter salvo mais de 40 pessoas em toda a sua vida. Ele ainda pode ser visto, empalhado, no Museu de História Natural de Berna.

29. Se não forem esterilizados, uma cadela, seu companheiro e os seus descendentes podem produzir mais de 66 mil cães em apenas seis anos.

30. É ilegal ter um cão em Reykjavik, na Islândia.

31. A temperatura média em um cão grande fica entre 37,4º e 39º e em um cão pequeno, de 38º.

32. Em 1957, a cadelinha Laika se tornou o primeiro ser vivo no espaço através de um satélite da Terra.

33. Os cães pequenos vivem mais tempo.

34. Os cães russos foram treinados durante a Segunda Guerra Mundial para executar missões suicidas com minas amarradas às costas. Que horror!

35. Segundo uma pesquisa feita pelo American Kennel Club americano, Snoopy foi considerado o cão mais famoso do mundo pop. Você sabia que Snoopy é um beagle?

36. O menor cão do mundo é o chihuahua, que significa "cão minúsculo no céu."

37. No final da canção dos Beatles "A Day in the Life", dos Beatles, Paul McCartney gravou um apito ultra-sônico que somente os cães são capazes de ouvir.

38. Os cães foram um dos primeiros animais domesticados pelo homem. Os seres humanos têm mantido os cães como animais de estimação há mais de 12 mil anos.

39. Enquanto as células olfativas do ser humano chegam a cinco milhões, em um cão atingem 220 milhões. O olfato é considerado o principal sentido canino, superior a de todos os outros animais.

40. O tato é um sentido considerado pouco desenvolvido nos cães, mas é fundamental na relação afetiva com outros animais.

quarta-feira, 7 de março de 2012

40 CURIOSIDADES SOBRE OS CÃES (PARTE 1)



01.  Filhotes de cães nascem aproximadamente 63 dias depois do acasalamento.

02.  Eles começam a ouvir logo após o nascimento, mas é preciso mais algum tempo antes que eles tenham a visão completa e audição.

03.  Os dentes dos filhotes geralmente aparecem com cerca de três semanas de idade.

04.  Os dentes definitivos substituem os "de leite" entre quatro e sete meses.  Eles são muito propensos a mastigar as coisas durante esse período.

05.  Cães mestiços são menos propensos a sofrer de doenças hereditárias e deficiências que os de raça pura.

06.  Os cães primeiro distinguem os objetos primeiro pelo movimento, em seguida, o brilho, e só depois, pela forma.

07.  O Wolfhound Irlandês é a raça de cão mais alta do mundo.

08.  Ao contrário do que muitos donos possam pensar, os cães não sentem culpa: é mito.

09.  Cães, assim como os humanos, sofrem traumas. Incidentes podem marcá-los para toda a vida.

10.  Ao contrário da crença popular, o poodle não teve origem em França. Originalmente é uma raça alemã, e era um cão utilizado para a caça.

11. O escritor grego Homero é considerado a primeira pessoa a escrever sobre cães. Os cães são frequentemente mencionados na Odisséia.

12. A crença comum de que os cães são daltônicos é falsa. Os cães podem ver cores, mas não é como um esquema de cores vivas como nós vemos. Eles distinguem entre azul, amarelo e cinzento, mas provavelmente não vêm vermelho e verde.

13. A audição do cão é muito melhor do que a vista. E seu sentido do olfato é muito melhor do que a audição e visão.

14. Na Idade Média, os cães eram muitas vezes julgados e punidos, juntamente com seus donos.

15. Na Roma Antiga, a devoção aos cães era tão intensa que César teria teve de lembrar aos cidadãos que prestassem mais atenção aos seus filhos e menos para seus cães.

16. Dois cães sobreviveram ao naufrágio do Titanic. Os pequenos cães estavam com seus donos e ninguém parece ter-se oposto à sua presença.

17. Os cães têm cerca de 100 expressões faciais diferentes. A maioria delas depende do movimento de suas orelhas.

18. Dálmatas nascem brancos e à medida que envelhecem as manchas aparecem.

19. Um típico cão adulto tem 42 dentes permanentes.

20. O cão mais velho já registrado viveu pouco mais de 29 anos de idade.

21. A música dos Beatles "Martha My Dear" foi escrita por Paul McCartney sobre sua cadela, Martha, uma Sheepdog.

22. A orelha dos cães é muito sensível, cheia de nervos sensoriais que ajudam a preservar a audição. Nunca sopre a orelha de um cão, pois mesmo suavemente pode ferí-lo. Não é o ato do vento, mas a frequência com que você sopra. Se formos comparar a mesma sensação com um humano, seria como correr os dedos sobre um quadro-negro, centenas de vezes amplificados.

23. Cães e gatos, assim como as pessoas, são destros ou canhotos.

24. Os cães suam através das almofadas dos pés.

25. Surpreendentemente, os estudos mais recentes apontam para o fato de o cão ter um sentido de justiça e ser capaz de reconhecer quando está a ser bem ou mal tratado. Não é mito, e tudo aponta para que os cães sejam mesmo capazes de sentir uma forma de discriminação quando são tratados de maneira diferente pelos humanos.

26. O Boxer foi chamado assim por sua forma de luta - pois ele começa uma luta com as patas da frente, como um boxeador humano.

27. Quase todos os cães possuem língua cor de rosa, exceto duas raças:  o Chow Chow e o Sharpei, ambos com línguas negras.

28. A maior genialidade sensorial do vira-lata é seu olfato. Se, por exemplo, nós humanos sentimos o cheiro de feijoada, os vira-latas são capazes de reconhecer separadamente o aroma do feijão, da linguiça, da cebola e do louro.

29. Os únicos mamíferos com próstatas são seres humanos e cães.

30. Você já viu um cão enrolado com sua cauda cobrindo seu nariz? Eles fazem isso para manter o nariz quente no frio.

31. A raça Doberman foi criada por Louis Dobermann, um alemão cobrador de impostos que fazia diversas viagens e sentia a necessidade de um cão para protegê-lo. Ele queria um cão valente, ágil, inteligente e corajoso que pudesse acompanhá-lo. Louis também trabalhava como zelador no canil municipal de Apolda  e tinha um grande conhecimento sobre cães, a partir de 1870 começou a realizar cruzamentos entre cães "dos açougueiros" (ancestrais do Rottweiler), Pinscher, Pastor Alemão, Weimaraner, Greyhound e o Manchester Terrier. Contudo, Louis Dobermann morreu aproximadamente dez anos após ter iniciado a seleção do doberman e não teve a oportunidade de ver seu trabalho concluído.

32. Acredita-se que o nome da raça Pug é derivado da semelhança com o macaco pug.

33. 78% dos cães domiciliados nos Estados Unidos são castrados.

34. Se um cão mantém o rabo erguido, é sinal de dominação.

35. A maior ninhada já registrada ocorreu em 1944, quando uma American Foxhound teve 24 filhotes.

36. Geralmente, a boca de um cão tem menos bactérias e germes do que a boca de um humano.

37. Todos os cães, independentemente da raça, são descendentes dos lobos selvagens e primos das raposas.

38. Foram realizados sete exames, inclusive teste de QI, em 80 animais. A nota máxima podia chegar a 30 pontos, porém os vira-latas conseguiram uma média de 20 contra 18 dos cães de raça. Os pesquisadores afirmaram que cachorros que não tem raça apresentam melhor noção de espaço e resolvem questões com mais facilidade do que os animais com pedigree.

39. Os cães são mais suscetíveis a atacar um estranho correndo, do que um que esteja parado.

40. Na hora da refeição, o cão é mais receptível a ensinamentos. Um filhote aprende mais rápido seu nome quando você o chama para se alimentar.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Como preparar seu cão para a chegada do bebê

Conselhos para lidar com os ciúmes do animal, regras de convivência e cuidados com a higiene



Na casa dos Diener, o Benjamin e o Tov foram encomendados ao mesmo tempo. Não, eles não são irmãos gêmeos – apesar de às vezes agirem como se fossem. É que o Tov – um bulldog francês – chegou na família uma semana antes de Luíza Diener descobrir que estava grávida de Benjamin.

“A gente tinha perdido um cachorro havia pouco tempo e eu queria muito outro, mas cheguei a considerar a hipótese de devolvê-lo para o canil, em função da chegada do bebê”, conta a mãe, ex-adestratora e blogueira do Potencial Gestante.

Durante este momento de indecisão, Luíza mal podia imaginar que, se tivesse mesmo devolvido o bichinho, seu filho, hoje com 1 ano e meio, teria perdido um grande amigo. Tov foi uma das primeiras palavras que Benjamin aprendeu a falar. Eles brincam juntos, disputam os mesmos brinquedos e adoram passear juntos, o que, segundo Luiza, torna as coisas bem difíceis quando está sozinha com os dois.

Construa uma relação de confiança entre o animal e a criança
Mas a relação tranquila e de confiança da dupla foi cuidadosamente construída. À medida em que a barriga de Luiza começou a crescer, a casa foi se modificando e o casal começou os preparativos para o nascimento, Tov também entrou em ritmo de preparação. Dar uma voltinha pelo quarto do bebê, cheirar as roupinhas que estavam sendo lavadas e não ficar mais no colo o tempo todo, foram algumas das etapas do “treinamento pré-bebê”.

Exatamente como indica a dra. Marta Lúcia Monte Carmello, médica veterinária e acupunturista. Segundo ela, se o animal for preparado para essa chegada, tudo deve correr bem, tanto para a relação entre ele e o bebê como para a saúde do próprio animal.

“Em alguns casos, as novas mamães chegam para mim com um cãozinho doente, deprimido, sem comer. A mudança brusca de rotina e atenção é muito intensa para eles”, completa.

Cinco regras para você treinar seu pet para que ele não tenha ciúmes do bebê
1 – Se a futura mamãe é quem faz tudo com o animal deve começar a dividir as tarefas com alguém bem antes do nascimento. Levar para passear e dar comida são funções que precisam ser divididas com outras pessoas, como o marido ou alguém que estará na casa nos primeiros dias do bebê.

2- Se o pet tiver trânsito livre pela casa, o ideal é fechar a porta do quarto do bebê em alguns momentos do dia, para que ele entenda que ali é uma área restrita, que ocasionalmente estará fechada.

3- Pode parecer estranho, mas você pode andar com uma boneca pela casa de vez em quando, para que ele se acostume com a presença de alguém no seu colo.

4 – Antes de o bebê sair do hospital, é importante levar uma roupinha que ele já tenha usado para o bichinho cheirar. Isso antes de o bebê voltar para a casa, porque assim o animal vai se acostumando com o ‘novo cheiro’.

5 – Dois a três meses antes do nascimento a dra. Marta costuma recomendar algum Floral de Bach que ajude na mudança de rotina. Isso vale sobretudo se o seu animal de estimação é do tipo “chicletinho”, que fica sempre grudado em você.

A veterinária também lembra que o sucesso de qualquer ‘estratégia’ de boa convivência depende do temperamento do animal e que o bom senso dos donos é essencial na hora de promover essa aproximação.

Luíza conta que fez um verdadeiro ritual de aproximação quando Benjamin chegou em casa. Assim que eles saíram do hospital, foram para a casa do avô da Luíza, então o encontro oficial foi quando Benjamin já tinha duas semanas.

“O Tov cheirou e até lambeu o bebê. Eu não me importei, porque é assim que um cachorro identifica as coisas. Hoje, o Benjamin nem sempre respeita o Tov, mas o Tov respeita o Benjamin sempre”.

A convivência de crianças com animais faz bem
Muita gente ainda têm reservas em relação à convivência entre crianças e animais. Faz bem? Faz mal? E os pelos? E a higiene?

Os dados de uma pesquisa chamada Radar Pet, encomendada em 2009 pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindam), ressaltam os benefícios da relação entre cães e gatos com os seus donos e mostram que os ganhos superam em muito os eventuais problemas.

O estudo demonstrou que o contato com animais domésticos torna os bebês menos suscetíveis às alergias e dermatitis. Uma redução de rinites alérgicas em algumas fases da infância também pode ser observada.

Para as crianças, essa proximidade contribuiu para a redução da ansiedade, interfere positivamente no desenvolvimento da linguagem e das habilidades motoras. A companhia de animais é usada, inclusive para fins terapêuticos. Além disso, crianças que cuidam de bichinhos de estimação apresentaram maior habilidade social e um consequente aumento da auto-estima.

O Dr. Andre Prazeres, médico veterinário da Konig Brasil e tesoureiro da Comac / Sindan, lembra que esse contato melhora a imunidade específica do bebê, diminuindo consideravelmente os quadros alérgicos. Além disso é um importante fator para a socialização da criança.

No período de crescimento, o convívio com animais de estimação ajuda a reduzir a incidência de doenças atópicas – provocadas por alguma reação alérgica. Também fornece novas informações a respeito do potencial imunológico e do mecanismo genético da criança, gerando dados que podem contribuir para novas estratégicas de prevenção de doenças alérgicas.

Ainda assim, o estudo revela que existe resistência das famílias com filhos pequenos na hora de adquirir um animal de estimação: 44% das casas que têm um pet são formadas por casais com filhos adolescentes e esse percentual diminui para 16% em casas com crianças de até 9 anos.

Especificamente em relação à saúde, o dr. Prazeres menciona um outro achado do estudo: os animais que permanecem em casa depois da gravidez são postos em segundo plano e o principal indício deste fator é a redução de cuidados com o animal, sobretudo no que diz respeito à vemifugação.

E comenta: “É incrível como isso acontece exatamente em lares com crianças pequenas, onde a atenção deveria ser redobrada, porque o risco de uma contaminação quando existe acompanhamento veterinário é muito baixo”.

Para ele, o segredo da felicidade entre animais de estimação e bebês e crianças pequenas estaria na fórmula: “vacinação, vermifugação freqüente, banhos regulares e uma boa educação, é isso que garante a convivência saudável entre os pets e os bebês”.

Fonte: Delas

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Sente fome, frio e medo!

Cão saca dinheiro, faz compras e até a cama para dona que tem doença rara


A inglesa Kate e seu labrador Byron em reportagem do Daily Mail 
(Foto: Reprodução)


Muitos donos se acham sortudos quando seus animais de estimação são convencidos a pegar seus chinelos ou o jornal na porta. Mas o labrador Byron faz estes e outros vários favores para sua “melhor amiga”, Kate Cross, que usa cadeira de rodas, todos os dias.

O cão treinado é fundamental para Kate, que sofre da síndrome de Ehlers Danlos. A doença rara faz com que as articulações da professora aposentada sejam tão frágeis que ela pode deslocar o ombro apenas ao abrir uma porta.

Mas Byron nunca está longe de Kate e aprendeu a fazer todas as coisas que ela não consegue no dia-a-dia. É o cão quem pega a roupa lavada, faz a cama, vai às compras e até saca dinheiro do caixa eletrônico para sua dona.

“Ele me deu minha vida de volta. Eu posso viver independentemente e não dependo do meu marido ou outra pessoa fazendo as coisas para mim porque está sempre do meu lado. Não consigo mais imaginar minha vida sem ele”, disse Kate ao “Daily Mail”.

Antes dele, Kate contou ter passado 18 meses sem sair de casa sozinha.

A professora aposentada de 49 anos vive em Hinckley, no Reino Unido e ganhou o cachorro em 2007. Segundo ela, Byron foi treinado na instituição de caridade Canine Partners, baseada em Sussex, que já treinou centenas de cães para ajudar pessoas que realmente precisam de ajuda.

Após meses de intensivo treino na instituição de voluntariado, os pequenos cachorros são apresentados a seus novos companheiros, antes de um treinamento também na nova casa.

Byron, que tem 7 anos, ajuda Kate desde o momento em que ela acorda, servindo de suporte para que ela consiga sair da cama e ir para a cadeira de rodas.

Enquanto ela prepara o café da manhã, o labrador abre a geladeira e pega o leite. É também ele que pega sua própria tigela para a primeira refeição, e depois a coloca para lavar.

Byron acompanha Kate ao supermercado, onde pega os produtos localizados nas prateleiras mais baixas da lista de compra. E, para inveja dos outros donos de cães, é ele mesmo quem abre a porta do banheiro para usar, quando precisa.


Fonte: Jornal dos Bichos
Do G1, em São Paulo.

Outdoor da APAMS...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Por que adotar faz bem?


Todos os anos centenas de animais são jogados nas ruas, e, se não encontram um dono, morrem em menos de um ano devido doenças, atropelamento, ou vítimas da crueldade humana.

Adotar um cão é ainda melhor do que comprá-lo. Fazendo isso, você contribuirá para diminuir o número de animais abandonados nas ruas. E estará dando um exemplo a seus filhos e amigos, incentivando-os a ver o animal como um ser vivo que merece carinho e respeito, e não como um objeto descartável de consumo.

Não há sensação melhor no mundo que a de ver um bichinho abandonado desabrochar depois de ser adotado por alguém de bom coração. É impressionante ver como os animais se transformam, passando de tristes, desanimados e doentes a saudáveis, bonitos e travessos.

Não bastasse ser um gesto humanitário, a adoção ainda traz felicidade. Nos últimos anos, foram feitas diversas pesquisas com donos de animais, somente para descobrir o que todos já sabiam na prática. Ter animais em casa traz felicidade.

Pessoas que têm animais são mais satisfeitas com a vida, e mais ajustadas. São menos propensas ao stress e expressam melhor seus sentimentos. Falam com seus animais quando deprimidos e confiam-lhes todos os segredos. Sua fidelidade e amor incondicionais ajudam a nos conhecer melhor. Conviver com os animais nos torna mais humanos.

Os animais são positivos às pessoas em todos os sentidos. Uma das pesquisas indica inclusive que donos de animais têm maior tendência a subir na profissão e ganhar mais. A felicidade também é lucrativa.

Os ganhos para a saúde também são significativos. O ato de acariciar um animal é relaxante e está provado que reduz o risco de problemas cardíacos. Além disso, ter animais levanta o astral e induz ao equilíbrio. Pessoas que têm animais ficam doentes menos vezes. Os animais influenciam até mesmo na cura de doenças que abalam não só o corpo, mas também o espírito. Atualmente, no mundo todo cães, gatos, coelhos, cavalos, aves e até mesmo peixes são utilizados como auxiliares do tratamento de doentes e idosos em hospitais e instrumentos de terapia para portadores de deficiências.

Para crianças, não há companhia melhor. Os animais de estimação se tornam amigos para toda a vida, trazendo lições valiosas e fundamentais sobre a vida, o respeito e os sentimentos, além de aumentar a independência e o senso de responsabilidade. Crianças tímidas podem tornar-se mais desembaraçadas com o apoio de um gato ou cãozinho. Crianças bagunceiras podem tornar-se mais responsáveis ao ter que enfrentar o desafio de cuidar de um animal. Crianças agressivas se transformam ao conviver com animais amorosos.

Benefícios de ter um cãozinho:
•Eles fazem qualquer pessoa sentir-se útil e importante, pois dependem dela para sobreviver;
•Oferecem companhia a toda hora e quase nunca exigem algo em troca. Podem ocupar o mesmo espaço afetivo de um parente ou amigo;
•Simbolizam um dos poucos elos entre o homem moderno e a natureza;
•Fazem rir, fornecem as primeiras noções de reprodução e morte as crianças, funcionam como ótimos "confidentes"e , quando estão descansando, transmitem paz para quem os observa;
•Nos tornam pessoas melhores, mais tolerantes e sensíveis, mais apaixonadas e esperançosas. O amor pelos animais faz crescer em todos nós o entusiasmo pela vida.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Cães ajudam na recuperação de doentes e alegram idosos

Eles alegram idosos, ajudam doentes e guiam os cegos. Nesta reportagem você vai conhecer cachorros que são indispensáveis para milhares de brasileiros.

Clique aqui e assista ao vídeo.

Frase do dia...

‎"Se você apanha um cachorro faminto e torná-lo próspero, ele não te morderá. Esta é a principal diferença entre um cachorro e um homem." 


Mark Twain

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Como denunciar maus tratos a animais

Conheça as leis que defendem os animais e incriminam seus ofensores



Segundo a Lei dos Crimes Ambientais (Lei Federal 9.605/ 98) é proibido “Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos’ (Art. 32). A infração da mesma comete a uma pena entre três meses a um ano de prisão e multa aumentada de 1/6 a 1/3 caso o animal morra.

Essa é apenas uma das leis que podem ser usadas contra o maltrato de animais. É importante conhecê-las e saber como usá-las em benefício dos bichinhos. Infelizmente, essa prática criminosa é muito comum e poucos se importam. Por isso, é importante ter essa consciência e delatar os infratores.

O Decreto-Lei nº 24645/34 dá proteção legal aos animais e o artigo 225, parágrafo 1º da Constituição Federal que afirma caber ao poder público:
VI – Promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente;
VII – Proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade.

Para denunciar, é preciso juntar a maior quantidade de informações possíveis para identificação do agressor, como nome, profissão, endereço residencial ou do trabalho. Em caso de atropelamento ou abandono, anote a placa do carro para rastreamento no DETRAN.

Depois, você deve chamar a polícia militar (190), pois sendo os responsáveis pelo policiamento ostensivo, cabe a eles irem ao local do crime e registrar a ocorrência. Outra opção é se dirigir até a Delegacia de Polícia mais próxima onde será feito um Boletim de Ocorrência (B.O.) ou um termo de Circunstanciado (T.C.). A autoridade policial enviará uma cópia destes documentos para o Juizado Especial Criminal, para que o acusado seja processado. Peça mais uma cópia para que você possa acompanhar o processo.

Caso não possa acompanhar o desenvolvimento, você também pode pedir ajuda a uma instituição de defesa animal, entregando-lhes sua cópia. Algumas entidades possuem ou podem sugerir advogados que garantam que o acusado seja processado e, se necessário, punido.

Em último caso, você pode protocolar uma representação, que seria como um relato formal dos fatos na Promotoria de Justiça (Ministério Público Estadual).

 O crime contra animais é considerado de menor gravidade pela Justiça. Porém, é muito importante processar o infrator para que ele tenha maus antecedentes e assim perder benefícios caso seja julgado novamente pelo Juizado Especial.

São considerados ações de maus-tratos:
- Não dar água ou comida diariamente;
- Manter preso em corrente;
- Manter em local sujo ou pequeno demais para o animal andar ou correr;
- Deixar sem ventilação ou luz solar;
- Deixar desprotegido de vento, sol e chuva;
- Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido;
- Obrigar a trabalho excessivo ou superior à sua força;
- Abandonar;
- Ferir;
- Envenenar;
- Utilizar para rinha, farra-do-boi, etc.

Em caso de envenenamento, providencie os seguintes exames para anexar ao T.C.: exame de necropsia com indicação de maus-tratos, exame macroscópico do corpo e exame toxicológico. Estes devem ser solicitados ao veterinário, assinados e carimbados com a identificação do número do CRMV.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Esterilize seu cãozinho e ajude a diminuir o número de animais nas ruas

Uma das causas do grande número de animais nas ruas é a rapidez com que estes se reproduzem. Uma cadelinha pode ter duas ninhadas por ano e em seis anos, ela e seus descendentes podem gerar cerca de 67 mil cães.

É muito difícil manter sozinho vários animais. Assim, muitas pessoas acabam abandonando os filhotinhos nas ruas ou doando para outra pessoa, que muitas vezes não terá o cuidado necessário com o bichinho. Na rua estão propensos a acidentes, crueldades humanas, doenças, fome, frio, sede e solidão. Esses animais não precisam passar por isso!

Se você tem um cãozinho, seja consciente e esterilize-o! É o único método eficiente e saudável para evitar crias e diminuir o número de animais abandonados. Já não existem lares suficientes para cachorrinhos vivos, então para que deixar novos nascerem? Se você quer bichinhos, adote! Você ajudará a salvar a vida de um animal abandonado e não deixará que outros novos passem pela mesma situação.

Um animal castrado é mais tranquilo, briga menos e ainda vive mais. A esterilização é uma cirurgia que impede definitivamente a procriação e a ocorrência do cio. Pode ser feita em fêmeas e machos por um médico veterinário. O animal não irá sentir dor, pois a cirurgia é feita com anestesia e a recuperação é rápida. Consulte um médico veterinário, ele lhe explicará os procedimentos a serem tomados antes e depois da cirurgia, bem como orientará sobre como cuidar bem do seu bichinho.

A cirurgia pode ser feito em clínicas ou hospitais veterinários ou, ainda, em campanhas a respeito.

Cães podem ser castrados a partir dos três meses, sendo o ideal marcar a cirurgia para 15 dias depois da primeira ou segunda dose de vacina. Quando o procedimento é realizado antes da primeira cria da cadelinha, suas chances de ter câncer de mama diminuem 90%.

Seu cachorrinho não irá engordar depois da cirurgia e também não irá mudar de comportamento ou personalidade. Os machos param de urinar em todos os cantos e o odor da urina diminui. Também param de correr atrás de fêmeas no cio e de brigar com outros animais. As fêmeas perdem o cio e param de atrair os machos.

A esterilização do seu bicho só traz benefícios tanto para ele quanto para você!

E reforçando, se você quer um novo cãozinho, adote! Assim você salva um cachorrinho da rua e não corre o risco de que outros vão parar no mesmo lugar!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Exercício: Brincadeira na medida certa

Um cão jovem fará todo exercício que precisar em seu jardim. Isto se aplica em todos os filhotes, pequenos ou grandes. Excesso de exercício em cães jovens, especialmente nos de raças grandes, pode colocar muitos estresse em ossos em desenvolvimento, o que pode levar, em casos extremos, a problemas de articulação. O descanso é tão importante quando o exercício.

Claro que você deve certificar-se de que seu cão está seguro no jardim, de que ele não consegue passar por baixo de uma cerca e de que os portões estão fechados. Não adianta achar que uma fêmea tem mais probabilidade de sair para perambular do que o macho. Os dois o farão se tiverem oportunidade. Para filhotes, é bastante útil fazer uma área fechada para diversão na grama ou pátio com algum tipo de cerca temporária para que você saiba que o filhote esta seguro e que não cavará sob plantas ou desaparecerá por um buraco que você não saiba que existia.

Caso você e seu cão morem em apartamento, e fundamental que você o leve para passear no mínimo duas vezes ao dia. Além do exercício, você poderá ensiná-lo a fazer suas necessidades durante esses passeios. Lembre-se de recolhê-las, pois isso faz parte da boa educação e cidadania. Esses passeios também são importantes para sociabilização e habituação do filhote frente a vários estímulos externos.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Feliz pra cachorro

Isto é que seu cão precisa durante toda a vida e ele, certamente, lhe devolverá em dobro. A primeira etapa no caminho do afeto é receber o seu cão em casa, já com tudo arrumado para o descanso, alimentação e exercícios.

No caso de filhotes, vale ter alguns brinquedos ao alcance também. Certifique-se de que eles sejam seguros, não posam ser engolidos, mastigados ou comidos. Bolas duras de borracha, não muito pequenas, “ossos” de nylon e bichinhos sem olhos soltos que possam ser mastigados são ótimos presentes. Os filhotes gostam de objetos que eles possam pegar e carregar. Então cuidado ao dar a um cachorro itens descartados de seu vestuário, pois futuramente ele não saberá diferenciar seus novos chinelos dos antigos por exemplo.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Guarda Responsável: dicas para cuidar de um animal

  • Alimente de forma correta, com ração de qualidade ou alimentação caseira balanceada. Mantenha água fresca sempre à disposição.
  • Dê um local adequado para viver. Nunca o deixe ao relento. Se ele for ficar no quintal, providencie um abrigo contra o calor, frio e chuva. Jamais deixe seu animal acorrentado.
  • Vacine anualmente. Todo animal deve ser vacinado quando filhote, e o reforço da vacinação deve ser dado anualmente.
  • Leve ao veterinário sempre que for preciso, para orientação, vacinação, ou se o animal apresentar qualquer sintoma de doença. Nunca ignore nenhum problema, pois ele pode estar sofrendo.
  • Para os cães, passeios são fundamentais, mas apenas com coleira/guia e conduzido por quem possa conter o animal. Ao passear, recolha as fezes de seu cão das ruas, calçadas ou parque e as jogue no lixo. Leve sempre um saquinho.
  •  Não castigue nem maltrate. Punição física não adianta nada, e não corrige comportamentos indesejáveis. Bater no animal, além de ser um ato de extrema covardia, fará com que ele se torne medroso e inseguro, o que não é bom nem para ele nem para você. Trate seus animais como você gostaria de ser tratado. Este é um princípio básico da humanidade.
  • Rua não é lugar para o animal estar, ele pode se perder ou ser vítima de atropelamentos, envenenamentos, brigas, etc. Por isso mantenha seus animais dentro de casa. Essa é a única maneira de evitar problemas para eles, para você, e para as outras pessoas também.
  • Zele pela saúde psicológica do animal, dê-lhe atenção, carinho, estímulos e ambiente adequado.
  •  Castre ou não permita a reprodução dos animais, isso ajuda a evitar que haja mais animais abandonados. A cada ano, centenas de filhotes indesejados são jogados nas ruas. A maioria morre antes de completar um ano. Mesmo que você esteja horrorizado e convicto de que não abandonará uma ninhada, pense mesmo assim. Não há casas disponíveis para todos os animais. Não é fácil conseguir um lar para todos os filhotes, e você nunca terá garantias de que serão bem tratados.
  • Seja companheiro sempre! Aprenda a respeitar o jeito de ser de cada animal. Ninguém será capaz de amá-lo de forma tão desinteressada e isenta de julgamentos como seu animal.
  • Na velhice, não o desampare. Não é justo que você se desfaça do animal justamente na fase em que ele mais precisará de você. Não seja você mais um a engrossar as fileiras da indiferença e da falta de gratidão. Seu animal o amou e compreendeu a vida inteira… Cuide dele até o fim.
  • Jamais o abandone! Animais abandonados são presa fácil das piores crueldades. Não caia na conversa de que sempre haverá “alguma alma boa” que cuide dele. A realidade não é essa.
  •  Não compre animais, adote um! Estima-se que, para cada animal comercializado, um é morto na rua ou nos centros de zoonoses.